Busca
Procure por artistas,
obras ou exposições
Paço das Artes
Av. Europa 158
Jardim Europa
CEP 01449-000
São Paulo/SP, Brasil
T 11 2117 4777 r. 413/414

Temporada de
Projetos

Temporada 2003

Paisagens da memória

ABERTURA
05 junho, 2003 - 19h30
VISITAÇÃO
06 de junho 29 de junho de 2003
ACOMPANHAMENTO CRÍTICO
Cauê Alves (São Paulo, Brasil, 1977) é professor do curso Arte: história, crítica e curadoria, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É curador do Clube de Gravura do Museu de Arte Moderna de São Paulo e realizou, entre outras curadorias, MAM[na]OCA: arte brasileira do acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo (2006), a mostra Quase líquido, Itaú Cultural (2008) e Da Estrutura ao Tempo: Hélio Oiticica, no Instituto de Arte Contemporânea (2009). Atualmente está preparando uma exposição monográfica sobre Mira Schendel (2010) e será curador do Panorama da Arte Brasileira do MAM (2011) e curador adjunto da 8ª Bienal do Mercosul (2011).
Cauê Alves
O projeto Paisagens da Memória de Ana Michaelis forja lembranças de horizontes que dificilmente vimos, mas que se tornam tão atuais quanto nossas remotas recordações. Essa atualidade é efêmera, pois o tempo em seu trabalho é compreendido como um elemento veloz que apaga e liquida as imagens da memória. 

Partindo de fotografias enviadas por amigos, do olhar do outro sobre a natureza, a artista realiza pinturas de paisagens em preto e branco com fortes contrastes. Em seguida, uma camada de tinta branca vela a pintura precedente, transformando-a numa imagem rarefeita, prestes a desaparecer. A tela final nos traz uma lembrança que não era nossa, fazendo com que um passado anônimo coexista com o nosso presente. O procedimento de sobrepor camadas de tinta que se interpenetram e enfraquecem as figuras reforça a continuidade e a passagem do tempo, que não pode ser representado por instantes independentes. 

Se à primeira vista temos uma tela branca ou uma cena congelada, aos poucos, numa sucessão contínua, a imagem surge e se esvai. Nessas obras, a ausência da figura humana e a interferência mínima do homem na paisagem podem sugerir uma atmosfera atemporal, mas essas pinturas alvas deixam o próprio movimento do tempo se mostrar.
REALIZAÇÃO

Realização
Fale Conosco | Mapa do Site | Ouvidoria | Transparência | Trabalhe Conosco Design ps.2 | Tecnologia ps.2wcms