Busca
Procure por artistas,
obras ou exposições
Paço das Artes
Av. Europa 158
Jardim Europa
CEP 01449-000
São Paulo/SP, Brasil
T 11 2117 4777 r. 413/414

Evento

Temporada em debate 2016 |

Programação paralela Temporada de Projetos

ABERTURA
02 agosto, 2016 - 19h00
VISITAÇÃO
Paço das Artes no MIS
Av. Europa, 158, Jardim Europa; tel.: (11) 2117-4777
Grátis
CURADORIA
Priscila Arantes
IMPRENSA
DOWNLOADS
A vocação experimental do Paço das Artes é constatada, principalmente, por meio da Temporada de Projetos, programa de fomento, apoio e difusão de jovens artistas, críticos e curadores. Concebida em 1996, a Temporada de Projetos se tornou, ao longo dos anos, um rico celeiro para a cena da jovem arte contemporânea brasileira.

Em diálogo com as mostras dos artistas selecionados para 2016, o Paço das Artes realiza, a Temporada em debate, uma série de atividades paralelas, como mesas-redondas, exibição de filmes e performances no Museu da Imagem e do Som (MIS), localizado na av. Europa, 158. A organização é de Priscila Arantes, diretora artística e curadora do Paço das Artes. Entrada gratuita.

PROGRAMAÇÃO

Arte e Política

2 de agosto
às 19h 
Abertura da exposição Fissuras, de Rafael Pagatini
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS

3 de agosto às 19h
Mesa-redonda:
Diego Matos, Gabriel Bogossian e Rafael Pagatini
Mediação: Priscila Arantes
Local: Auditório LABMIS

19 de agosto às 19h

Exibição do filme “15 Filhos”, de Marta Nehring e Maria Oliveira 
Local: Auditório LABMIS

Arte e Arquitetura

13 de setembro às 19h

Abertura da exposição Fundação, de Tiago Mestre
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS


23 de setembro às 19h
Mesa-redonda: Guilherme Wisnik, Jacopo Crivelli Visconti e Tiago Mestre
Mediação: Priscila Arantes
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS

7 de outubro às 15h
Bate-papo com Cauê Alves na exposição Fundação, de Tiago Mestre
Local de encontro: Em frente à sala da Temporada de Projetos no MIS

Amazonas: Paisagens Industriais

25 de outubro às 19h

Abertura da exposição “330 (ou sobre uma única viagem)”, de José Vianna e Camila Fialho
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS

26 de outubro às 19h
Mesa-redonda: Camila Fialho, José Vianna e Thaís Rivitti
Mediadora: Priscila Arantes
Local: Auditório LABMIS

11 de novembro às 19h
Exibição do filme “Serras da Desordem”, de Andrea Tonacci
Local: Auditório LABMIS

O documentário retrata o massacre da tribo Awá-Guajá nos anos 1970 na Amazônia, por meio da história de Carapirú, que escapa e se refugia num vilarejo no sertão da Bahia, até ser encontrado por dois sertanistas.

"Serras da desordem" ganhou o prêmio de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Fotografia no 34º Festival de Gramado (2006), o Prêmio da Crítica Independente na 30ª Mostra Internacional de Cinema de SP (2006), entre outros.


Arte e Natureza / Re-performance

8 de dezembro às 19h
Abertura das exposições Oficina Botânica Ordinária, de Bruno Oliveira e Victor Tozarin | Trishacrete, de Grasiele Sousa e Marina Takami
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS

8 de dezembro às 19h
Tema: Arte e Natureza

Mesa-redonda: Bruno Oliveira, Felipe Chaimovich, Maria Monteiro, Victor Tozarin
Mediação: Priscila Arantes
Local: Auditório LABMIS

16 de dezembro
Tema: Re-performance

19h – Performance Trishacrete, de Grasiele Sousa e Marina Takami
Local: Sala da Temporada de Projetos no MIS
19h30 – Mesa-redonda: Christine Mello, Grasiele Sousa e Marina Takami
Mediadora: Priscila Arantes
Local: Auditório LABMIS

** Programação sujeita a alteração.

Saiba mais sobre os participantes

Andrea Tonacci

É um cineasta radicado no Brasil, considerado um dos principais diretores do Cinema Marginal, movimento cinematográfico ocorrido no Brasil na década de 1970. Seu primeiro longa-metragem, “Bang-bang”, foi escolhido para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes. Em 2006, seu filme “Serras da Desordem” valeu-lhe o Kikito de melhor diretor no Festival de Gramado.

Cauê Alves
É doutor em Filosofia pela FFLCH-USP, professor do Departamento de Arte da PUC-SP e coordenador do curso de Artes Visuais do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. É curador do MuBE, autor do livro Mira Schendel: avesso do avesso e da mostra homônima (Bei Editora/ IAC, 2010). Foi um dos curadores do 32º Panorama da Arte Brasileira do MAM SP (2011), curador adjunto da 8ª Bienal do Mercosul (2011) e curador assistente do Pavilhão Brasileiro da 56ª Bienal de Veneza (2015).

Christine Mello
Pesquisadora, crítica e curadora no campo da arte e tecnologia. Possui pós doutorado em Artes Plásticas pela  Escola de Comunicações e Artes da USP e doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. É professora do mestrado em Artes Visuais da Fundação Armando Alvares Penteado e da Faculdade Santa Marcelina, onde coordena o grupo de pesquisa  arte&meios tecnológicos. Em 2002, foi curadora de net art da representação brasileira para a 25ª Bienal de São Paulo.

Diego Matos
É pesquisador, professor e curador. Graduou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É mestre e doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Trabalhou no Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2011 – 2013). Foi curador da mostra coletiva “Da Próxima Vez Eu Fazia Tudo Diferente”, Espaço Pivô (2012). Foi curador assistente do 18o Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil (2013). Foi curador da exposição paralela do 19º Festival, “Quem nasce pra aventura não toma outro rumo” (2015). Foi coordenador do Núcleo de Acervo/ Arquivo e Pesquisa da Associação Cultural Videobrasil (2014 – 2016). Foi curador da exposição “A mão prolongada e as ciências do sonho”, do artista Michel Zózimo (Galeria Sé, 2016). Vive e trabalha em São Paulo, Brasil.

Felipe Chaimovich
É doutor em Filosofia pela USP, curador do Museu de Arte Moderna de São Paulo desde 2007, foi curador do Festival Internacional de Jardins no Ibirapuera (2010), das mostras “Ecológica” (MAM, 2010) e “Natureza franciscana” (MAM, 2016), é autor de “O jardim paisagístico e o falso problema da preservação da natureza” (Anais do XXXV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. CBHA: Rio de Janeiro, 2016).

Gabriel Bogossian
É editor, pesquisador e curador baseado em São Paulo. É curador assistente do Galpão Videobrasil e co-diretor da Casa Tomada, espaço independente dedicado à investigação em arte em São Paulo. Foi curador de Território, Povoação (Galeria Blau Projects, São Paulo, 2016), com Juliana Gontijo, Cruzeiro do Sul (Paço das Artes, São Paulo, 2015), Transperformance 3 – Corpo Estranho (Oi Futuro Flamengo, Rio de Janeiro, 2014), com Luisa Duarte, ramal_mixtape (Galeria Baró, São Paulo, 2013) e Ensaio para a Loucura (MuBE, São Paulo, 2011), entre outras. Como editor e tradutor, foi responsável por publicações junto à editora Rocco, à Editora Universitária da UFPE e ao Festival Videobrasil.

Guilherme Wisnik
É professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em Regime de RDIDP. É colunista do jornal Folha de S. Paulo, e autor de livros como Lucio Costa (Cosac Naify, 2001), Caetano Veloso (Publifolha, 2005) e Estado crítico: à deriva nas cidades (Publifolha, 2009). Crítico de arte e arquitetura, foi curador do projeto de Arte Pública Margem (Itaú Cultural, 2008-10), das exposições Cildo Meireles: rio oir (Itaú Cultural, 2011) e Paulo Mendes da Rocha: a natureza como projeto (Museu Vale, 2012).

Jacopo Crivelli Visconti
Possui graduação em Letras e Filosofia - Universita di Napoli (1996) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2012). É crítico e curador de arte contemporânea.

Maria Monteiro
É gestora do espaço independente Phosphorus, formada em História, Crítica e Curadoria na PUC-SP, atua como curadora independente e produtora executiva especializada em exposições, além de colaborar com a Galeria Jaqueline Martins em Feiras de Arte Internacionais. Trabalhou como relações institucionais na Galeria Luciana Brito, foi curadora da primeira versão do Red Bull House of Art e organizou, ao lado de Franz Manata, o projeto Abotoados Pela Manga

Marta Nehring
Começou na publicidade, estudou Letras e é doutora em cinema pela USP. Seu curta “15 Filhos” (co-dirigido com Maria Oliveira) foi premiado como “melhor documentário” nos festivas do Rio, Ceará e Curitiba circulou o mundo em festivais internacionais como Rotterdam, Osnabrück, Oberhausen, Human Rights Watch International Film Festival e no projeto “Itinerância Videobrasil”.

Priscila Arantes
É historiadora, crítica, curadora e pesquisadora no campo da arte contemporânea e gestora cultural. É formada em filosofia pela Universidade de São Paulo, possui mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pós doutorado pela Pennsylvania State University (USA) e UNICAMP . É professora do Mestrado em Design da Universidade Anhembi Morumbi e professora de pós graduação e graduação da PUC/SP desde 2002 atuando nos cursos Arte: História, Crítica e Curadoria, Tecnologia e Mídias Digitais e Artes do Corpo. É diretora e curadora do Paço das Artes, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, desde 2007 e entre 2007 e 2011 foi diretora adjunta do MIS (Museu da Imagem e Som).

Thaís Rivitti
É graduada em jornalismo e filosofia, mestre em artes visuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e colabora com publicações especializadas, onde escreve sobre artes visuais desde o início dos anos 2000. É diretora do Ateliê 397, espaço independente de arte, onde desenvolve projetos de exposições, publicações, debates e cursos.


Paço das Artes no MIS
Av. Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo/ SP; tel.: (11) 2117-4777
Fale conosco: pacodasartes@pacodasartes.org.br
www.pacodasartes.org.br
http://mapa.pacodasartes.org.br
REALIZAÇÃO

Realização
Fale Conosco | Mapa do Site | Ouvidoria | Transparência | Trabalhe Conosco Design ps.2 | Tecnologia ps.2wcms