Busca
Procure por artistas,
obras ou exposições
Paço das Artes
Av. Europa 158
Jardim Europa
CEP 01449-000
São Paulo/SP, Brasil
T 11 2117 4777 r. 413/414

Evento

Seminário Internacional de Arte Contemporânea

Arte em Deslocamento: trânsitos geopoéticos

ABERTURA
26 setembro, 2014 - 14h15
VISITAÇÃO
26 e 27 de setembro de 2014
Inscrições seminariointernacional
@pacodasartes.org.br
Informações (11) 3814-4832
Grátis | Livre
Vagas Limitadas
CURADORIA
Priscila Arantes
Arte em Deslocamento: trânsitos geopoéticos é o tema do Seminário Internacional de Arte Contemporânea, que o Paço das Artes promove nos dias 26 e 27 de setembro de 2014. A coordenação é de Priscila Arantes, diretora técnica e curadora do Paço das Artes.

A entrada é gratuita e é necessário se inscrever e-mail (seminariointernacional@pacodasartes.org.br). Vagas Limitadas. Informações (11) 3814-4832.

De acordo com Priscila Arantes, o evento pretende debater algumas questões contemporâneas como o papel da América Latina dentro do contexto da arte em tempos de globalização; os novos territórios e circuitos percorridos pela arte contemporânea no contexto local e global; identidade nacional na América Latina e no Brasil; os lugares que as manifestações artísticas podem ocupar em um mundo marcado pelo nomadismo, impermanência e simultaneidade, entre outras. “A ideia do Internacional é discutir os deslocamentos promovidos pela Arte Contemporânea, especialmente, aqueles relacionados à produção da América Latina”, diz.

Por dia, serão realizadas duas mesas-redondas com pensadores e artistas brasileiros e estrangeiros. Entre eles, podemos destacar Pablo Leon De La Barra (curador do Guggenheim UBS MAP América Latina), Jorge La Ferla (artista e professor da Universidad de Buenos Aires), Pablo Lafuente (curador da 31ª Bienal de São Paulo - 2014), Clarissa Diniz (gerente de conteúdo do Museu de Arte do Rio – MAR), Diógenes Moura (curador e escritor), Gilbertto Prado (artista multimídia e professor do Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP), Graziela Kunsch (artista), Guilherme Wisnik (professor da FAU-USP), Jorge Menna Barreto (artista), Karen O´Rourke (artista), Lucas Bambozzi (artista multimídia, documentarista e curador), Moacir dos Anjos (curador da 29ª Bienal de São Paulo - 2010), Priscila Arantes, Lilian Amaral (artista e curadora). A comissão científica é formada por Gilbertto Prado, Lilian Amaral e Priscila Arantes.

Saiba mais sobre as mesas-redondas abaixo:

26 de setembro (sexta-feira)

Apresentação  14h15
Priscila Arantes

Mesa 1 – 14h30
Entre o Local e o Global: como pensar as diferenças nos dias de hoje e seus reflexos na arte e cultura contemporânea
Palestrantes: Moacir dos Anjos e Pablo Lafuente
Mediação: Priscila Arantes

Pontos a serem discutidos
· Relação periferias e centros, limites entre o local e o global, formatos
bienal, iniciativas fora do eixo hegemônico, trânsitos geopoéticos
· De que maneira os grandes formatos expositivos podem ou não
contribuir para estas discussões

Mesa 2 – 16h15
Arte, mobilidade, cidade e outros circuitos
Palestrantes: Karen O´Rourke, Guilherme Wisnik e Lucas Bambozzi
Mediação: Gilbertto Prado
Pontos a serem discutidos
· Quais os novos territórios e circuitos percorridos pela arte
contemporânea: arte na cidade - arte em rede - arte em trânsito

27 de setembro (sábado)

Mesa 3 – 14h15
Arte e sistema da arte
Palestrantes: Clarissa Diniz, Jorge Menna Barreto e Graziela Kunsch
Mediação: Lilian Amaral

Pontos a serem discutidos
· Quais os deslocamentos possíveis entre as figuras do curador, crítico,
artista e educador no sentido de incorporar as diferenças?
· Quais os territórios percorridos pelos diferentes agentes do sistema da
arte contemporânea?
· Quais as contribuições que os diferentes agentes do sistema da arte
podem dar para a constituição de um discurso para além dos hegemônicos?
· Residências artísticas, experiências imersivas, iniciativa de espaços
independentes.

Mesa 4 – 16h45
Olhares e miradas a partir do Sul: territorialidades latino-americanas
Palestrantes: Pablo Leon De La Barra e Jorge La Ferla
Mediação: Diógenes Moura

Pontos a serem discutidos
· Como pensar a arte brasileira e a história da arte brasileira a partir do
Brasil?
· Como pensar as reconfigurações da história da arte no contexto
geopolítico contemporâneo?
· Qual o papel da produção artística da América Latina nos dias de hoje?
· É possível falar de uma identidade nacional na América Latina e no
Brasil?

Comissão Científica: Gilbertto Prado, Lilian Amaral e Priscila Arantes

Sobre os palestrantes
(em ordem alfabética)

Clarissa Diniz escreve sobre arte e desenvolve curadorias. Graduada em Lic. Ed. Artística/Artes Plásticas pela Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Editou a Tatuí (www.revistatatui.com), revista de crítica de arte, entre 2006 e 2014, e atualmente é Gerente de Conteúdo do Museu de Arte do Rio - MAR. Escreveu alguns livros e desenvolveu curadorias em importantes instituições.

Diógenes Moura é escritor, curador e editor independente. Premiado no Brasil e exterior, entre 1998 e 2013 integrou a equipe de Curadores da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foi eleito o Melhor Curador de Fotografia do Brasil pelo Sixpix/Fotosite, em 2009. No ano seguinte recebeu o prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte de melhor livro de contos/crônicas com “Ficção Interrompida – Uma Caixa de Curtas” (Ateliê Editorial). Com o mesmo título foi finalista do Premio Jabuti de Literatura 2011. Acaba de publicar “Fulana Despedaçou os Versos” (Edições Terra Virgem). Atualmente, assina a curadoria da exposição “Operação Condor”, de João Pina, no Paço das Artes.


Gilbertto Prado é artista multimídia, professor do Departamento de Artes Plásticas da ECA – USP e coordenador do Grupo Poéticas Digitais. Tem realizado e participado de inúmeras exposições no Brasil e no exterior. Recebeu o 9º Prix Möbius International des Multimédias, Beijin, 2001 (Menção Especial) e o 6º Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, 2006, entre outros. Trabalha com arte em rede e instalações interativas. Publicou em 2003 o livro Arte telemática: dos intercâmbios pontuais aos ambientes virtuais multiusuário, pelo Itaú Cultural.

Graziela Kunsch é artista, editora, crítica, curadora e professora. Seus projetos implicam em um alargamento do chamado “público da arte”, relacionando-se com contextos políticos e sociais. É doutoranda em Meios e Processos Audiovisuais na ECA-USP, membro do grupo História da Experimentação no Cinema e na Crítica, editora da revista Urbânia, e uma das artistas selecionadas para a 31ª Bienal de São Paulo (2014).

Guilherme Wisnik é professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. É autor de livros como Lucio Costa (Cosac Naify, 2001), Caetano Veloso (Publifolha, 2005) e Estado crítico: à deriva nas cidades (Publifolha, 2009). Foi o Curador Geral da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013). É membro da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, da LASA – Latin American Studies Association e vice-diretor do Centro Universitário Maria Antônia.

Jorge La Ferla
é licenciado pela Universidade de Paris VIII Vincennes, com mestrado em Artes pela University of Pittsburgh. Chefe de cátedra na Universidade de Buenos Aires, professor titular da Universidade Del Cine, professor convidado na Universidade De Los Andes (Bogotá). Curador de cinema, vídeo e novas medias, tem livros publicados no Brasil, Argentina e Colômbia e artigos em diversas publicações da América e Europa.

Jorge Menna Barreto é formado em Artes Plásticas pela UFRGS, é mestre e doutor em Poéticas Visuais pela ECA/USP. Atualmente, dedica-se a um pós-doutorado no departamento de Artes Visuais da UDESC, no qual investiga relações possíveis entre agroecologia e o site-specific. Práticas visuais e discursivas se mesclam em sua trajetória, seja enquanto educador, tradutor, artista ou escritor.

Karen O´Rourke trabalha com obras que exploram a relação entre o fazer artístico e os conceitos de rede, arquivo e território. É professora da Universidade Jean Monet Saint-Étienne. Ao lado de colegas da Sorbonne (Université Paris 1) e colaboradores na França, Grã Bretanha e Estados Unidos, ela desenvolve um projeto de pesquisa chamado “The End of Maps? Dream Territories, Standardized Territories”.

Lilian Amaral é pós-Doutora em Arte, Ciência e Tecnologia pelo IA/UNESP; pesquisadora PNPD / Capes e professora colaboradora do PPGACV da UFG/FAV. É também artista e curadora no campo da Poética Urbana e Cartografias Artísticas Contemporâneas em contexto ibero-americano.

Lucas Bambozzi trabalha em mídias como vídeo, filme, instalação, obras site-specific, performances audiovisuais e projetos interativos. Seus trabalhos já foram mostrados em mais de 40 países. Foi curador do Sónar SP (2004) e Life Goes Mobile (2004-2005) e é um dos criadores do arte.mov Fest. de Arte em Mídias Móveis (2006-2012) e do Labmovel (2012-2013).

Moacir dos Anjos é pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife. Foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - MAMAM (2001-2006) e pesquisador visitante no centro de pesquisa TrAIN – Transnational Art, Identity and Nation, University of the Arts London (2008-2009). Foi curador do pavilhão brasileiro na Bienal de Veneza (2011), curador da Bienal de São Paulo (2010), co-curador da Bienal do Mercosul, PoA (2007) e curador do Panorama da Arte Brasileira, MAM SP (2007).

Pablo Lafuente
é escritor, editor e curador. Trabalha como editor da revista Afterall e da serie de livros Exhibition Histories, publicada por Afterall Books. É Reader em Arte, Contexto e Teoría em Central Saint Martins, London. Lafuente foi co-curador da representação oficial da Noruega na Biennale di Venezia em 2011 (com Marta Kuzma e Peter Osborne) e 2013 (com Marta Kuzma e Angela Vetesse). Lafuente faz parte do equipe curatorial da 31a Bienal de São Paulo (6 Setembro–7 Dezembro 2014).

Pablo Leon De La Barra foi escolhido como o curador do Guggenheim UBS MAP América Latina. Atualmente está em uma residência de dois anos no Guggenheim, em Nova York, e faz parte da curadoria da segunda exposição na Iniciativa de Arte Guggenheim UBS MAP Global, com foco na arte contemporânea e os artistas da América Latina. Léon fez diversas curadorias internacionais e recebeu o 1° Prêmio Colección Patricia Phelps de Cisneros Travel Award for Central America and the Caribbean e escreve em seu blog Centre for the Aesthetic Revolution.

Priscila Arantes é diretora técnica e curadora do Paço das Artes desde 2007. Entre 2007 e 2011, foi diretora-adjunta do Museu da Imagem e do Som (MIS). É pós-doutora pela Pennsylvania State University (EUA), pesquisadora, crítica de arte e professora universitária. É autora de “Arte @ Mídia: perspectivas da Estética Digital” (Senac/FAPESP), finalista do 48 Prêmio Jabuti (2006), do livro “Conexões Tecnológicas, de Estéticas tecnológicas: novas formas de sentir” (EDUC/SP), e do inédito “Reescrituras da Arte Contemporânea: História, Arquivo e Mídia (Editora Sulina), entre outros.



Organização e coordenação: Priscila Arantes
Comissão Científica: Gilbertto Prado, Lilian Amaral e Priscila Arantes
Produção: Núcleo de Projetos do Paço das Artes


O Seminário pretende discutir os deslocamentos promovidos pela Arte Contemporânea, especialmente, aqueles relacionados à produção da América Latina
REALIZAÇÃO

Realização
Fale Conosco | Mapa do Site | Ouvidoria | Trabalhe Conosco Design ps.2 | Tecnologia ps.2wcms