Busca
Procure por artistas,
obras ou exposições
Paço das Artes
Av. Europa 158
Jardim Europa
CEP 01449-000
São Paulo/SP, Brasil
T 11 2117 4777 r. 413/414

Palestra

Seminário Internacional de Arte Contemporânea 2017

Urgências na Arte

ABERTURA
19 outubro, 2017 - 19h00
VISITAÇÃO
O Paço das Artes realiza nos dias 19, 20 e 21 de outubro o Seminário Internacional de Arte Contemporânea 2017 – “Urgências na Arte” | Grátis

Paço das Artes apresenta Seminário Internacional de Arte Contemporânea 2017 com o tema “Urgências na Arte”

O Paço das Artes instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo –e o Ministério da Cultura, realizam nos dias 19, 20 e 21 de outubro o Seminário Internacional de Arte Contemporânea 2017 – “Urgências na Arte”. Com organização de Priscila Arantes, diretora e curadora do Paço das Artes, o seminário deste ano conta com Fabio Cypriano e Paula Braga no comitê científico. A entrada é gratuita e para participar, é necessário se inscrever pelo e-mail seminariointernacional@pacodasartes.org.br, enviando os seguintes dados: nome completo, idade, profissão e R.G.

Desde sua primeira edição, em 2005, o seminário cria um espaço de diálogo e troca entre instituições, artistas e pesquisadores nacionais e internacionais para refletir sobre temas relacionados à arte e à cultura contemporânea. Mais recentemente, em 2014, o evento propôs o tema “Arte em Deslocamento: trânsitos geopoéticos” e, em 2015, “Outras histórias na Arte Contemporânea”. Nomes importantes da arte contemporânea como Jochen Volz, diretor geral da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Pablo León de La Barra, curador de arte latino-americana do Guggenheim de Nova Iorque e Moacir do Anjos, curador da 29ª Bienal de São Paulo, passaram por edições anteriores do evento.

Agora, com as participações de Octavio Zaya, Lisette Lagnado, Ayrson Heráclito, Benjamin Seroussi, Peter Pál Perlbart, Claudia Andujar, entre outros, o seminário promove conversas sobre a ação de instituições, artistas, críticos e historiadores da arte nas duas primeiras décadas do século XXI, tratando da reação da arte ao esgotamento de um modelo epistemológico e econômico vigentes. “É urgente, hoje, que a arte se levante novamente como instigadora da transformação”, defende Priscila Arantes, diretora artística do Paço das Artes.

O seminário, este ano, traz algumas novidades: além das mesas, haverá uma performance de abertura do artista plástico, curador, professor da UFRB e que integra a Bienal de Veneza 2017, Ayrson Heráclito, e a programação será encerrada com a mostra “Urgências: Acervo Histórico do Videobrasil” de obras que dialogam com os temas do seminário, nos três dias do evento.

A primeira mesa, “O papel das instituições em tempos de urgência”, será na sexta-feira, às 14h, e reúne o crítico e curador espanhol Octavio Zaya, a arquiteta e museóloga venezuelana Nydia Gutierrez e a curadora e escritora Lisette Lagnado, com mediação de Priscila Arantes. Às 16h30, “Arte e as novas subjetivações” promove um debate entre os professores Peter Pál Perlbart e Maria Angélica Metendi e os artistas Claudio Bueno e João Simões, idealizadores da residência Explode!. A mediação é do jornalista Fabio Cypriano.

No sábado, às 14h, haverá a mesa “Poéticas Militantes”, com participação do pesquisador Artur Freitas, do artista Ayrson Heráclito e do curador Benjamin Seroussi e mediação da professora Paula Braga.  Em “Arte no Antropoceno”, às 16h30, debatem o arquiteto e urbanista Paulo Tavares, o artista Matheus Rocha Pitta e a fotógrafa e ativista Claudia Andujar, com mediação de Priscila Arantes.       

Priscila Arantes explica a escolha dos temas que perpassam a programação das mesas: “Não há dúvida de que na última década a produção artística no Brasil cresceu, porém direcionando-se mais para o mercado do que para a reflexão e atuação sobre temas urgentes da contemporaneidade. Por quanto tempo pode o mercado se sustentar sem o vigor de uma produção artística que interrogue sua época?”

As mesas serão realizadas no auditório do MIS, na Avenida Europa, 158. São 170 vagas e as inscrições começam na terça-feira, dia 19 de setembro. Dúvidas podem ser encaminhadas para pacodasartes@pacodasartes.org.br ou pelo telefone (11) 2117-4777 – ramal 412.


Confira a programação detalhada e conheça os participantes:

 

19 de outubro, quinta-feira
19h - Abertura e cadastramento
           Perfomance Ayrson Heráclito

20h - Mostra “Urgências: Acervo Histórico do Videobrasil”

 

20 de outubro, sexta-feira
13h45 – Apresentação: Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e Paço das Artes

14h – Mesa 1: O papel das instituições em tempos de urgência, com Octavio Zaya, Nydia Gutierrez e Lisette Lagnado e mediação de Priscila Arantes 

16h – Intervalo

16h30 – Mesa 2: Arte e as novas subjetivações, com Peter Pál Perlbart, Maria Angélica Metendi, Claudio Bueno e João Simões e mediação de Fabio Cypriano

19h – Mostra “Urgências: Acervo Histórico do Videobrasil”

 

21 de outubro, sábado

14h – Mesa 3: Poéticas Militantes, com Artur Freitas, Ayrson Heráclito e Benjamin Seroussi e mediação de Paula Braga 

16h – Intervalo

16h30 – Mesa 4: Arte no Antropoceno, com Paulo Tavares, Matheus Rocha Pitta e Claudia Andujar e mediação de Priscila Arantes

19h – Mostra “Urgências: Acervo Histórico do Videobrasil”

 

Participantes

Artur Freitas é pesquisador em história da arte, professor doutor da Universidade Estadual do Paraná e professor do programa de pós-graduação em História da Universidade Federal do Paraná. É autor, entre outros, de Arte de guerrilha (Edusp, 2013), Arte e contestação (Medusa, 2013) e Arte e política no Brasil (Perspectiva, 2014).

Ayrson Heráclito é doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia e professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Suas obras transitam pela instalação, performance, fotografia e audiovisual, lidam com frequência com elementos da cultura afro-brasileira e suas conexões entre a África e a sua diáspora na América. O artista foi convidado a integrar a Bienal de Veneza em 2017.

Benjamin Seroussi  atua como curador, editor e gestor cultural. Foi curador associado da 31ª Bienal de São Paulo. É mestre em Sociologia da Arte pela Ecole Normale Supérieure e Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales e mestre em Gestão Cultural por Sciences-Po, foi diretor de programação do Centro da Cultura Judaica de 2009 a 2012. É um dos responsáveis pela retomada do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conhecido como Casa do Povo, no Bom Retiro, no centro de São Paulo.

Claudia Andujar cresceu na Transilvania. Em 1994, se mudou para a Suiça e, em 1955, imigrou para o Brasil. Desde então, vive e trabalha em São Paulo. Durante a década de 70, recebeu bolsas da John Simon Guggenheim Foundation, e da Fundação de Apoio a Pesquisa (FAPESP) para fotografar e estudar a cultura Yanomami. De 1978 a 2000, trabalhou para a ONG Comissão de Pró-Yanomami e coordenou a campanha para a demarcação do território Yanomami na Amazônia, criado em 1993. Em 2000, ela ganhou o Prêmio Anual de Liberdade Cultural (Fotografia) como defensora dos Direitos Humanos da Lannan Foundation, no Novo México. Em 2003, recebeu o Prêmio Severo Gomes da Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos em São Paulo e, em 2005, o prêmio de melhor Exposição de Fotografia da APCA (Associação Brasileira dos Críticos de Arte) com “Vulnerabilidade do Ser”, realizada na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Em 2008, foi homenageada pelo Ministério da Cultura e do Brasil por suas realizações artísticas e culturais.

Claudio Bueno é artista visual, pesquisador, curador e doutor em Artes Visuais pela USP. Suas práticas se desdobram a partir da experiência do corpo e seus atravessamentos pelos espaços, relações e tecnologias. Atualmente integra O Grupo Inteiro, voltado a práticas artísticas; realiza com Tainá Azeredo a Intervalo-Escola, que experimenta modos de aprendizagem a partir da arte; e desenvolve, com João Simões, a plataforma Explode!, que pesquisa culturas e artes periféricas.

Fábio Cypriano é jornalista, professor e crítico de arte. Possui mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e pós-doutorado pela USP, com o tema “A Bienal de São Paulo e a elite paulista”. É coordenador do curso de graduação de Jornalismo da PUC-SP. É ainda crítico de arte da Folha de S.Paulo, autor de Pina Bausch (Cosac Naify, 2005) e co-autor de Histórias das Exposições - Casos Exemplares, entre outros.

João Simões é artista, pesquisador, curador, produtor cultural e educador. Desenvolve a plataforma Explode!, com Claudio Bueno, em que aborda questões de classe, raça e gênero a partir de manifestações de arte e cultura das periferias. É produtor executivo da Cia. Sansacroma de dança contemporânea e integra também o Coletivo Amem de arte e ativismo negro.

Lisette Lagnado é crítica de arte e curadora independente. É mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC e doutora em Filosofia pela USP. É fundadora do Projeto Leonilson e autora de Leonilson. São tantas as verdades (Projeto Leonilson/Sesi/DBA, 1995). Foi curadora da 27ª Bienal de São Paulo (2006) e da mostra Desvíos de la deriva. Experiencias, travesias y morfologías (2010), no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, em Madri. De 2014 a 2017, dirigiu a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro.

Maria Angélica Melendi é professora e pesquisadora. É doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também leciona. Investiga as estratégias de memória desenvolvidas pela arte contemporânea na América Latina em relação aos terrorismos de estado e à violência social. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Estratégias da Arte na Era das Catástrofes e editora da Revista Lindoneia.

Matheus Rocha Pitta é artista com formação em História e Filosofia. Tem investigado formas e percepções de gestos que têm implicações éticas. Fotografias, vídeos  e esculturas são usados para construir um repertório de gestos, tais como em Primeira Pedra (São Paulo, 2015), No Hay Pan (Milão, 2015), Assalto (Bienal de Taipei, 2014), e Aos vencedores as batatas (Berlin, 2017).    

Nydia Gutierrez é arquiteta e museóloga, atual curadora chefe do Museo de Antioquia, em Medellín, na Colômbia. Também foi curadora do Museu de Belas Artes de Caracas e atualmente dá aulas de curadoria na Universidade Nacional da Colômbia, no programa de mestrado em Museologia.

Octavio Zaya é curador independente, escritor e editor. É diretor e editor executivo de Atlantica. Revista de Arte y Pensamiento e membro do comitê artístico do Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires e do comitê consultivo do festival Performa de Nova York. Foi curador da Bienal de Joanesburgo, da Documenta de Kassel e da Bienal de Veneza.

Paula Braga é professora de Estética no curso de Filosofia da UFABC. Com pós-doutorado pelo Instituto de Artes da UNICAMP, é doutora em Filosofia pela USP e mestre em História da Arte pela Universidade de Ilinois,  EUA. É autora de Hélio Oiticica, Singularidade, Multiplicidade (Editora Perspectiva, 2013) e organizadora da coletânea Fios Soltos: a arte de Hélio Oiticica (Editora Perspectiva, 2008). 

Paulo Tavares é arquiteto e urbanista. Seus projetos e textos foram publicados e exibidos em diferentes contextos, mais recentemente na Bienal de Design de Istambul e na Bienal de Sharjah. Atualmente é professor da Universidade de Brasília, e antes lecionou no Centro de Pesquisa em Arquitetura da Universidade de Cornell, e na PUC do Equador. Em 2017, criou a agência Autonoma, uma plataforma dedicada a explorar novas formas de pensar e produzir o território. 

Peter Pál Pelbart é professor titular de filosofia na PUC-SP. Escreveu principalmente sobre loucura, tempo, subjetividade e biopolítica. Publicou O tempo não-reconciliado (Perspectiva), Vida Capital (Iluminuras) e mais recentemente, O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento (n-1 edições), entre outros. Traduziu várias obras de Gilles Deleuze. É membro da Cia Teatral Ueinzz e coeditor da n-1 edições.

Priscila Arantes é diretora artística e curadora do Paço das Artes desde 2007. É pós-doutora pela Pennsylvania State University (EUA) e doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. É pesquisadora, crítica de arte e professora universitária em cursos de graduação e pós-graduação stricto sensu. Em 2007, foi finalista do 48º Prêmio Jabuti pela publicação Arte@Mídia: perspectivas da estética digital (Ed.Senac/Fapesp). É autora também de Reescrituras da Arte contemporânea: história, arquivo e mídia (Editora Sulina, 2015), entre outros. 

 

SERVIÇO

Seminário Internacional de Arte Contemporânea – “Urgências na Arte”

Datas: 19 a 21 de outubro (quinta a sábado)

Inscrições: seminariointernacional@pacodasartes.org.br. Grátis. 170 vagas.

Grátis

 

Paço das Artes no MIS

Av. Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo/ SP; tel.: (11) 2117-4777


Fale conosco: pacodasartes@pacodasartes.org.br

www.pacodasartes.org.br

http://mapa.pacodasartes.org.br

 

Informações para a imprensa - Paço das Artes

Flávio Silva | flavio.silva@pacodasartes.org.br | (11) 2117-4777 – Ramal 432

 


Informações para a imprensa - Secretaria da Cultura do Estado

Gisele Turteltaub | Gisele@sp.gov.br | (11) 3339-8162

Gabriela Carvalho | gabrielacarvalho@sp.gov.br | (11) 3339-8070

Damaris Rota | drota@sp.gov.br | (11) 3339-8308

REALIZAÇÃO

Realização
Fale Conosco | Mapa do Site | Ouvidoria | Transparência | Trabalhe Conosco Design ps.2 | Tecnologia ps.2wcms